domingo, 20 de novembro de 2011

Engolida pela saudade


Especialmente hoje estou sentindo sua falta mais que em outros dias
A sua ausência é sentida pelo meu corpo e pela minha alma
Sinto seu perfume pela casa vazia
Os cantos se arredondaram e parecem sem fim
Até o vento quando sopra me traz a sua lembrança
Quando fecho meus olhos sua imagem me vem à cabeça
Seu perfume toma conta da casa
E cada vez que respiro a sua presença vem
Você está tão perto e tão longe de mim
As tardes de domingo são torturantes
Você não está aqui
Estamos no mesmo caminho
Mas parece que seguimos direções opostas
Quero tua presença de fato
Seu olhar doce e sua meiguice encantadora
Desejo tudo de você que não me deixa em paz
Hoje, eu fui engolida pela saudade.