domingo, 11 de dezembro de 2011

11/12/11 – 14 anos


“_ Parabéns, Audrey, você vai ter um bebê!”.
Nossa, sempre desejei, mas nunca pensei que realizaria este sonho! E ela chegou há exatos 14 anos e foi a melhor coisa que me aconteceu! Quando a segurei pela primeira vez em meus braços tive a certeza – total e irrestrita – que jamais estaria sozinha nesta vida. Aquele olhar desamparado, mas muito vivo me deixou muda.
Sua esperteza e vivacidade são contagiantes até hoje. Como diz o meu pai: “O espinho quando tem que espetar, traz a ponta de pequeno”. E ela é assim. Uma verdadeira rosa arrumada, perfumada, linda, encantadora e... com espinho! Às vezes de uma mansidão incrível. Noutras, um verdadeiro furacão.
Aonde ela chega, contagia. Seu sorriso é um perigo! Tão envolvente que quando a gente percebe, já foi envolvido por ela. Meu bebezinho que só tinha joelho agora é uma menina-moça. Quando ela chega, traz consigo a alegria contagiante de quem está descobrindo a vida. E, quando não está, deixa um enorme vazio.
Como diz o João Pedro:
_ Caraca, a Mariana é um saco, mas faz uma faaaalta.
Só Deus seria capaz – em sua plenitude e bondade – brindar a minha vida com a presença dela. Agradeço a Ele por tamanho privilégio e presente tão abençoado.
Eu te amo para sempre... até sempre!