quarta-feira, 4 de março de 2015

A beira do abismo...

A beira do abismo ela está de volta, depois de uma reviravolta e muita dor. Aos poucos a menina que tornou-se pedra volta a ser flor. E ela é encantada e mesmo ainda machucada, oferce amor. Ela sabe que não é princesa, que não vive um conto de fadas, mas é mais que sofrida, é louca varrida, ela é mulher. Depois da parada, da busca desesperada, de se sentir desamparada, ela se reencontrou. Com força dobrada, reiniciou sua caminhada.
Numa pequena parada ela olhou para trás... Fechou seus olhos, respirou fundo e sentiu seu mundo. Em sua memória, descobriu a glória. Contemplou a descida, a sua vida sofrida e apenas sorriu. De fronte erguida, um pouco ressentida, do seu ponto de partida, sua jornada reiniciou. E não é que depois de todo sofrimento ela não perdeu o sentimento que um dia a matou. E mesmo conhecendo o risco ela se entregou.
Ela sabe que a vida só vale a pena ser vivida quando a gente se arrisca na vida de outra vida. Ela perdeu o medo, aprendeu o segredo... Se descobriu encantada, sabe que é amada, que é flor perfumada que enfeita um jardim. De um terreno semiárido, ela fez arado, tornou um ser desprezado em um ser amado. Não era amor, ERA MUITO MELHOR!!!
Muito prazer! Ela!