segunda-feira, 2 de maio de 2016

Lampejos de saudade

Meu amor, me peguei pensando em você – para variar.

Hoje a saudade bateu as portas do meu coração e nem esperou eu abrir, saiu invadindo. E ela, muito ardilosa, buscou sensações únicas e tão particulares... fez pouso longo e, por mais que eu quisesse que ela se fosse, insistiu em ficar.

Penso que hoje era um dia para ser apreciado por uma janela, um clima frio, vendo o sol tentando aquecer o frio de dentro. Esses lampejos de saudade são bem danadinhos. Viajei, passei por lembranças, te abracei, te beijei, te senti... te amei... e fechei os olhos bem apertadinho para a sensação não acabar, mas precisei me levantar.

Foi bom demais te ver bem, e confesso que senti inveja. Ainda não me recuperei, mas estou em busca disso. Poder te ver e te fazer carinho foi muito legal. Encostar minha pele na tua é inexplicável. Essas sensações transcendem tudo que conheço.


Obrigado por habitar minhas lembranças e melhores sensações. Eu amo você.