quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Gato preto dá amor


Alguns dizem que gato preto da azar e outros dizem que gato preto da sorte. Eu digo que você me deu AMOR e tenho certeza que soube retribuir. Fiz por você tudo que pude, mas me perdoe se não fui capaz de salvar sua vida.
Sinto saudades do seu olho amarelo me fitando, de você deitar no teclado do laptop, no caderno das crianças enquanto faziam dever de escola, agarrar meu pé quando eu passava sem te dar confiança, mas seu hobby mesmo era rasgar os livros do João Pedro e manchar as folhas dos cadernos da Mariana.
Fui te ver todos os dias e sempre que te olhava recebia de volta um olhar terno e agradecido. Cada vez que passava a mão no seu corpinho, você se deitava e fechava os olhos, como quem agradecia meu afago e sentia o meu amor. Acho que você sabia que não voltaria mais pra casa. Você se despediu de mim e eu acho que não percebi.
Senhor Gato, meu Nick amado, espero que tenha folhas de cadernos e livros para você manchar e rasgar e teclados pra você deitar, seja onde for o “céu” dos gatos.