terça-feira, 27 de novembro de 2012

Banco do meu jardim


Num banco em um jardim
Entrevejo minhas doces lembranças
É bom ouvir falar de mim
No banco das minhas emoções
O perfume é suave
Tem algo de orquídea que brota de um velho tronco
Luminosos e repousantes sentidos
À sombra, as folhas caem suaves
Encontro comigo mesma
Fecho os olhos e sinto a brisa
Minha boca sorri com doce encanto
A respiração fica leve
O ar tem cheiro de flor
E volto a sorrir
Estou no banco do meu coração
Com as minhas recordações!
Chuva traz nostalgia.