quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Conviver com as diferenças

Conviver com as diferenças às vezes pode parecer fácil e até bonito de dizer. Mas não há facilidade em conviver com as diferenças. Não há uma receita, mas é necessária muita paciência, perseverança, tolerância... Talvez aprender o caminho certo para conviver com diferenças seja mais fácil com os animais que com os seres humanos.

Então, vamos a uma fábula...

Durante a era glacial, muitos animais morriam por conta do frio intenso. Os porcos-espinhos, percebendo a situação, resolveram se juntar em grupos. Dessa forma, eles se agasalhavam e se protegiam mutuamente. No entanto, os espinhos de cada um feriam os companheiros mais próximos, que eram exatamente os que ofereciam mais calor.

Diante da situação, decidiram se afastar um dos outros. Conclusão: voltaram a morrer congelados. Eles precisavam fazer uma escolha nada fácil. Ou morriam congelados, desaparecendo da Terra, ou aceitavam os espinhos dos companheiros. Com sabedoria, decidiram voltar a ficar juntos.

Assim eles aprenderam a conviver com as pequenas feridas que a relação com uma pessoa muito próxima podia causar, já que o mais importante era o calor do outro... E assim sobreviveram!


*******


Daí tiramos uma lição muito importante: o melhor relacionamento não é aquele que une pessoas “perfeitas”, mas aquele onde cada um aprende a conviver e respeitar os defeitos do outro, além de admirar suas qualidades.

Fácil?! Claro que não! Mas é possível!